Técnica em enfermagem vive dias melhores após sofrer com transtorno de humor


  • +A
  • -A

O transtorno de humor é uma doença psiquiátrica de diagnóstico difícil. É preciso estar bem informado para perceber que um amigo ou familiar apresenta o problema. Suas características são as mudanças de humor, que variam de episódios de normalidade a momentos de euforia e outros de depressão, e muitas vezes são confundidas como sendo próprias da personalidade de um indivíduo.

Trauma contribui para o desenvolvimento da doença

 

Taís Soccol sempre foi muito extrovertida e sorridente. Com 34 anos, mora em Serafina Corrêa, no Rio Grande do Sul, onde trabalha como técnica em enfermagem. Ela começou a sofrer com o transtorno de humor depois de vivenciar um trauma e passou a conviver com o descontrole e a depressão.

A gaúcha procurou especialistas para tratar o transtorno. Há três meses, iniciou um novo tratamento prescrito pelo médico e já se sente mais estável. No início, o tratamento foi difícil, mas as melhoras se tornaram visíveis com o passar dos dias. “Os primeiros dias do tratamento foram mais complicados, mas a partir da segunda semana tudo ficou melhor”, explicou Taís.

Como controlar crises nervosas e variações de humor?

 

Seu objetivo foi alcançado. Hoje, ela possui mais qualidade de vida e está conseguindo manter a doença controlada. Antes de tratar o distúrbio, a técnica em enfermagem apresentava mais mudanças de humor, principalmente crises nervosas, que a atrapalhavam realizar atividades simples do dia a dia, como trabalhar. “A prioridade nestes casos é estabilizar o humor do paciente, o que é feito por meio de medicamentos e a adoção de alguns hábitos saudáveis, especialmente dormindo bem, com um sono adequado”, explica o psiquiatra Eduardo Aratangy.

As causas para o desenvolvimento da doença ainda estão sendo investigados, mas a Psiquiatria já conhece alguns fatores de risco do distúrbio de humor. Histórico familiar, abuso de álcool e drogas, dia a dia estressante e experiências traumáticas, como foi o caso de Taís, são alguns deles.

Dr. Eduardo Wagner Aratangy é psiquiatra formado pela USP e atua em São Paulo. CRM-SP: 116020

Foto: Shutterstock

TAGS
depressao
psicologico
transtorno-bipolar

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

Nenhum comentário para "Técnica em enfermagem vive dias melhores após sofrer com transtorno de humor"
Seja o primeiro a comentar

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.