Depressão, ganho de peso e diabetes: Confira a história de superação desta dona de casa de São Paulo


  • +A
  • -A

Os sentimentos de tristeza e prostração que surgem com a depressão são, por si só, muito ruins para um indivíduo, e podem trazer ainda outras complicações. A obesidade, por exemplo, muitas vezes acaba sendo uma consequência desse quadro, podendo contribuir no desenvolvimento de outras doenças, como o diabetes.

Este é o caso de Shirley Aparecida B.B, dona de casa de 60 anos que vive em São Paulo. Há cerca de cinco anos ela perdeu uma filha em função de câncer e com isso acabou desenvolvendo depressão e ansiedade, o que a fez engordar 12,5 kg, chegando a pesar 97,5 kg. O ganho de peso trouxe o diabetes, tornando seu estado de saúde ainda mais grave.

 

Depressão e alterações no apetite

 


A depressão tem sintomas que vão além da sensação de tristeza. É muito normal que a depressão cause mudanças no apetite, com pacientes que aumentam ou reduzem drasticamente as quantidades de comida que ingerem, dependendo de como é sua reação aos efeitos do transtorno. “O apetite sofre alterações, com redução ou aumento, levando a uma variação significativa de peso nessa fase”, explica a psiquiatra Ana Claudia Ducati.

“Me sentia muito triste e desanimada o tempo todo, mal saía de casa”, diz a dona de casa. “Mas aí chegou uma hora que eu disse pra mim mesma que tinha que tomar vergonha na cara e emagrecer. Isso aconteceu no momento em que eu percebi que não conseguia mais abaixar direito por conta do peso. Comecei a tomar remédios para diabetes, mas a real melhora veio quando iniciei o tratamento com antidepressivo”.

 

Sucesso no tratamento passa por boa relação com médico

 


Segundo Shirley, logo após começar a tomar a medicação ela já sentiu uma evolução significativa no ânimo. “Juro que já senti a diferença no segundo ou terceiro dia de uso”, afirma a dona de casa. Com essa virada no quadro, ela passou a frequentar a academia e fazer as coisas da rotina com mais vontade. “Mudei minha dieta para algo mais saudável, com mais restrições, mas não senti muito. Gosto das comidas que como hoje em dia”.  

Voltar a se sentir bem e ser ativa foi muito importante para Shirley também para cuidar de sua família. “Tenho um neto de 15 anos que amo e cuido muito. Preciso ter disposição para estar com ele em diversos momentos”, diz. Ela destaca também a boa relação que teve com a profissional que a tratou. “Minha médica foi ótima, me passou um remédio que vem me ajudando muito e, desde o início, explicou tudo direitinho, então não tenho do que reclamar. Recomendo para todo mundo esse tipo de tratamento”.

 

Dra. Ana Claudia Ducati Dabronzo é psiquiatra geral e da infância e adolescência, formada pela Universidade de São Paulo (USP). CRM: 150.562

Foto: Shutterstock

TAGS
alimentacao
depressao
diabetes
dieta
obesidade

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

2 comentários para "Depressão, ganho de peso e diabetes: Confira a história de superação desta dona de casa de São Paulo"

veronica mello pinheiro

Boa Noite, sou mãe do Tadeu de Mello Pinheiro, e fui diagnosticada com Depressão e ansiedade, comecei a fazer tratamento com psiquiatra onde não vou sempre para pegar remédio, porque se tratando de hospital publico se torna inviável. Parece um buraco sem fundo, tenho medo de elevador, não ando mais de metro, não suporto lugares onde me sinta presa, até mesmo um abraço apertado me causa pânico.Estou comentando, porque nem sei mais o que fazer para melhorar. todo emprego que arrumo de alguma forma acabo saindo porque do nada me vem uma irritação ou uma mania de perseguição onde ninguém gosta de mim e o medo de andar pela rua com medo de tudo.Sei lá porque estou escrevendo, mas deve ser desespero.

Cuidados Pela Vida

Olá Veronica,
A depressão é uma doença psiquiátrica complexa e que provoca tanto sintomas psicológicos quanto físicos. Os sentimentos de tristeza e prostração que surgem com a depressão são, por si só, muito ruins para um indivíduo. Segundo o psiquiatra Marcelo Paoli, o tratamento é realizado com medicamentos e também com psicoterapia. Existem ainda outros fatores que podem ajudar na batalha contra a depressão. O apoio da família e dos amigos, a prática de atividades físicas, alimentação saudável, o não consumo de álcool e cigarros, noites bem dormidas e o contato com pessoas auxiliam na eficácia do tratamento. Orientamos você a procurar um médico psiquiatra, para verificar o melhor tratamento para o seu caso. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.

x

Parabéns

Em breve sua revista chegará em sua casa

Percebemos que você gostou do nosso conteúdo. Quer receber nossa revista em casa?

Preencha o formulário com seus dados que enviaremos para você!

* IMPORTANTE: Isso não é uma assinatura. Você receberá apenas esta edição da Revista CUIDADOS PELA VIDA.