Convivendo com a depressão: Quais hobbies podem ajudar no tratamento da doença?


  • +A
  • -A

Em um tratamento para depressão, o médico não indica apenas o uso de medicamento e psicoterapia. O profissional também recomenda práticas cotidianas que estimulem positivamente o paciente, no sentido de amenizar os sintomas do transtorno. Hobbies, ou seja, passatempos que a pessoa sente prazer em fazer, são sempre boas sugestões.  

No entanto, é fundamental que esses hobbies sejam atividades não apenas prazerosas, mas efetivamente saudáveis para mente e corpo. “Parte importante do restabelecimento da pessoa que sofre por depressão é o retorno à sua vida usual, o que deve ser obtido por meio da promoção de hábitos saudáveis”, afirma o psiquiatra Eduardo de Castro Humes.

 

Importância da regularidade nos exercícios para combater a depressão

 


Segundo o profissional, a prática de atividade física é um dos pilares da orientação médica no combate à depressão. “Existem mais evidências científicas no sentido do benefício de caminhada, jogging ou corridas. Também há diversos mecanismos propostos para a ação terapêutica da atividade física, incluindo a liberação de endorfinas, mas ainda sem uma definição clara”, explica Humes.

Além da endorfina, o organismo libera serotonina durante a prática de exercícios. Estes dois neurotransmissores são importantíssimos no combate à depressão, pois promovem sensações de prazer e bem-estar. Contudo, a atividade física só será realmente efetiva como parte do tratamento da doença caso seja realizada com regularidade. Caminhadas ou corridas devem ser feitas durante, pelo menos, 30 minutos em 3 dias da semana, no mínimo.

 

Encontre o que te dá prazer

 


É essencial que a atividade seja atrativa para o paciente, pois isso irá facilitar que ela seja mantida posteriormente, o que ajuda na prevenção de novos episódios depressivos. “Algumas pessoas aprendem novas línguas, outras buscam cursos de costura e cozinha ou passam a fazer artesanato. Não há uma resposta única para todos. Cada um sabe aquilo que te faz bem”, completa o psiquiatra.

 

Dr. Eduardo de Castro Humes é psiquiatra e psicoterapeuta formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. CRM-SP: 108239

Foto: Shutterstock

TAGS
atividade-fisica
depressao
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

1 comentário para "Convivendo com a depressão: Quais hobbies podem ajudar no tratamento da doença?"

Mercedes Moreira Cardoso

Tenho uma crise após outra, por muitos anos, faço uso de medicamentos mas nenhum exercício, minha vida está parada, nem as coisas simples consigo fazer

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.