Uma pessoa que parou de fumar ainda pode desenvolver DPOC?


  • +A
  • -A

A doença pulmonar obstrutiva crônica, a DPOC, é formada por dois problemas respiratórios: o enfisema pulmonar e a bronquite crônica. Tosse, catarro, dor no peito, falta de ar e de energia estão entre os sintomas vistos em pacientes. A causa principal para seu desenvolvimento é o tabagismo, o que torna o fim desse hábito a forma de prevenção da doença mais eficaz.

Tabagismo aumenta o risco de ter DPOC e câncer de pulmão


Mas, mesmo quem conseguiu vencer o vício deve continuar atento aos sintomas da doença. “A DPOC pode progredir e se transformar em doença mesmo com a pessoa já tendo parado de fumar. Porém, isso não é frequente e não pode servir de estímulo para a perpetuação do tabagismo, uma vez que continuar fumando aumenta mais o risco de desenvolver DPOC”, afirma o pneumologista Ramiro Sienra.

Depois que um fumante para de fumar, o que acontece é a diminuição da inflamação dos pulmões, o que pode levar à redução da tosse com catarro e pigarro que muitos pacientes com DPOC possuem. “Além disso, há diminuição dos danos aos alvéolos pulmonares, da probabilidade de desenvolver DPOC e de ter câncer de pulmão”, destaca o especialista.

Tratamento da DPOC envolve medicamentos e fim do hábito de fumar


Quem já tem a doença pulmonar obstrutiva crônica e decide abandonar o cigarro não consegue reverter o problema. Abandonar o hábito de fumar não é capaz de estabilizar a complicação, mas diminui drasticamente as chances do quadro piorar, evitando agravamentos e melhorando a qualidade de vida.

É importante ainda realizar o tratamento, que consiste em uma abordagem complexa e multidisciplinar, segundo Sienra. “O médico deve prescrever vacinas, oxigenoterapia suplementar para alguns casos e ainda fazer vigilância em relação à osteoporose e, principalmente, câncer de pulmão”, explica o profissional. Sintomas como a falta de ar podem ser atacados com broncodilatadores para devolver a capacidade do paciente de fazer exercícios e outras atividades do dia a dia.

Dr. Ramiro Sienra é pneumologista, formado pela Faculdade de Medicina da USP e atende em São José dos Campos (SP). CRM-SP: 139797

Foto: Shutterstock

TAGS
cigarro
dpoc
respiracao
tosse

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

Nenhum comentário para "Uma pessoa que parou de fumar ainda pode desenvolver DPOC?"
Seja o primeiro a comentar

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.