Síndrome do pânico: o que acontece exatamente no corpo de uma pessoa?


  • +A
  • -A

A síndrome do pânico é um exemplo de transtorno de ansiedade, cujas causas ainda estão em investigação, mas acredita-se que existam fatores genéticos envolvidos. A doença provoca crises de pânico, em que um paciente se vê tomado pelo medo intenso diante de situações do dia a dia, com manifestações físicas e mentais que costumam durar até 20 minutos.

Descarga de adrenalina: batimentos cardíacos acelerados e falta de ar


Um episódio de pânico começa com um estímulo real ou imaginário que libera adrenalina, hormônio que prepara o corpo para fugir ou lutar. “Aceleração dos batimentos cardíacos, falta de ar, dilatação das pupilas, tremores e ansiedade são os principais sintomas”, conta o psiquiatra Eduardo Aratangy. Segundo o profissional, com o fim da descarga de adrenalina, a crise acaba passando sozinha, mas pode se reiniciar depois de certo tempo.

Durante uma crise de pânico, um paciente com a síndrome deve receber o auxílio de familiares e de amigos. “É importante entender que o indivíduo não tem controle sobre esses sintomas e que o medo vivido é apavorante. Um ambiente acolhedor, em que a pessoa se sinta confortável, ajuda”, recomenda o psiquiatra.

Respirar dentro de um saco plástico ajuda durante crise de pânico


A hiperventilação é uma das consequências imediatas da síndrome. Trata-se da respiração feita de maneira muito rápida por causa da ansiedade. O problema causa falta de ar, formigamento, perda de sensibilidade e de força nas extremidades. Nesses casos, quem estiver por perto pode ajudar o paciente a respirar dentro de um saco plástico para regularizar a respiração e diminuir os sintomas.

As crises de pânico, por si só, não colocam a vida do paciente em risco, mas o medo intenso pode provocar acidentes, por exemplo, caso a pessoa esteja dirigindo no momento. A longo prazo, Aratangy explica que pode ocorrer o aumento da pressão arterial e dos níveis de cortisol. Além disso, a doença pode isolar socialmente o indivíduo, fazendo com que ele deixe de realizar suas tarefas cotidianas.

Dr. Eduardo Wagner Aratangy é psiquiatra formado pela USP e atua em São Paulo. CRM-SP: 116020

TAGS
ansiedade
psicologico
panico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

9 comentários para "Síndrome do pânico: o que acontece exatamente no corpo de uma pessoa?"

Matheus

Boa matéria.

Fabíola

Só quem já passou por isso sabe o quanto é terrível e inimaginável!

Cuidados Pela Vida

É verdade Fabíola, é uma situação quase indescritível. Por esse motivo é importante falarmos sobre esse assunto, assim quem passa por isso sabe que não está sozinho e que há possibilidade de tratamento. Abraços

Conceição

Só sabe o tamanho do sofrimento quem passa, mais essa matéria de certa forma vai me ajudar! Tem umas dicas bem legais.

Conrado

As crises decham vc debilitado por alguns dias até, é muito ruim mesmo.

márcio

eu cheguei a ter crises de 12 horas,não é somente 20 minutos não..tanto é que quase morri em uma das vezes devido a pressão sanguínea elevada

Cuidados Pela Vida

É verdade Conceição, por esse motivo é importante falarmos sobre esse assunto, assim quem passa ou conhece alguém que passa por isso pode ter maiores informações a respeito. Abraços.

Cuidados Pela Vida

É verdade Conrado, por isso é importante realizar um acompanhamento e o tratamento prescrito pelo especialista. Abraços.

Cuidados Pela Vida

Olá Márcio, uma crise de pânico possui uma duração média de 20 a 30 minutos, podendo variar, pois a pessoa ainda pode experimentar batimentos cardíacos acelerados, confusão, e problemas de concentração durante horas após a crise. Por isso é importante que um paciente com a síndrome receba auxílio de familiares e de amigos, e siga as orientações passadas pelo profissional que o acompanha. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.