É possível superar a síndrome do pânico e levar uma vida normal?


  • +A
  • -A

Todas as pessoas sentem ansiedade em determinadas situações do dia a dia. Outras mais, outras menos. Mas em certas pessoas, essa sensação ultrapassa os limites do saudável e se transforma em algo maléfico para a saúde, para o trabalho e para o relacionamento com outras pessoas.

É a chamada síndrome do pânico, um transtorno que se caracteriza por crises de medo e desespero exageradamente desproporcionais ao momento, em que o paciente sofre com taquicardia, falta de ar, tremores e tonturas. Em muitos casos, quem sofre com a síndrome acredita que irá morrer.

Como superar o transtorno?

Felizmente, com o avanço do conhecimento sobre a doença, é possível levar uma vida mais tranquila. “Procurando tratamento, a grande maioria dos pacientes obtém o que chamamos de remissão total, isto é, ficar sem quaisquer sintomas”, explica o psiquiatra Eduardo de Castro Humes.

Os sintomas da síndrome podem ser parecidos com os causados por problemas cardíacos. É preciso, portanto, atenção. “Não é raro que pacientes ignorem encaminhamentos para psiquiatras e foquem na investigação cardíaca, gerando procuras a serviços de emergência e exames dispendiosos”, afirma Humes.

Tratamento em prol da qualidade de vida

O tratamento envolve medicação e psicoterapia associadas a outras modalidades, como meditação e atividades físicas. Entretanto, segundo Humes, mesmo depois da remissão dos sintomas, o paciente deve continuar o tratamento: “Nessa fase, o portador já não sente o impacto da doença, mas a manutenção do tratamento, após a remissão total dos sintomas deve ser realizada por pelo menos 9 meses.” Somente depois é que a descontinuação do tratamento deve ser discutida.

No combate à síndrome do pânico, o apoio de amigos e familiares é fundamental. Eles devem encorajar a busca e a adesão ao tratamento, colaborando para diminuir o estigma que o próprio paciente pode ter sobre o transtorno, e também incentivar a prática de atividades físicas e outras formas complementares de tratamento.

Dr. Eduardo de Castro Humes é psiquiatra e psicoterapeuta formado pela Faculdade de Medicina da USP e autor do livro “Psiquiatria Interdisciplinar”. CRM-SP: 108239

TAGS
ansiedade
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

Nenhum comentário para "É possível superar a síndrome do pânico e levar uma vida normal?"
Seja o primeiro a comentar

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.