Pare de fumar: o tabagismo pode ser uma causa de surtos de ansiedade?


  • +A
  • -A

Inúmeras pesquisas científicas já comprovaram que o consumo do tabaco está associado ao surgimento de inúmeras doenças. Infarto, derrame cerebral e cânceres de pulmão, boca, fígado, estômago e pâncreas são apenas algumas. No entanto, a ação negativa do cigarro também gera efeitos no cérebro dos fumantes.

A atuação da nicotina no corpo

O cigarro é capaz de provocar surtos de ansiedade, tanto pelo consumo da nicotina, quanto por sua ausência. “Quando o tabagista fica sem fumar, a falta de nicotina leva à ansiedade crescente. O fumante perde a tranquilidade, fica agitado e nervoso e não consegue se concentrar em mais nada”, explica o psiquiatra Roni Broder Cohen.

De acordo com o psiquiatra, a nicotina é uma substância que é rapidamente eliminada pelo corpo, o que torna frequentes as crises de ansiedade, que se repetem ao longo do dia. Para evitá-las, o fumante mantém o maço de cigarro sempre por perto, porque sabe que os sintomas são crescentes e podem se tornar insuportáveis. O cérebro aprende, então, que ansiedade e nicotina estão extremamente ligadas.

A interrupção do consumo de cigarros leva o paciente a um quadro de abstinência. “Os primeiros dias são os piores. Além da ansiedade, as manifestações incluem irritação, tremores, sudorese fria nas mãos, fome compulsiva, alterações no sono, dificuldade extrema de concentração e alternância entre apatia e agressividade”, explica Cohen.

Para se livrar do cigarro

O vício pode ser eliminado por meio do tratamento psiquiátrico, que irá variar de acordo com o grau de dependência e da disposição do paciente. Segundo o psiquiatra, tabagistas com uso intenso, mas fortemente motivados podem ser mais fáceis de tratar do que outros com pouco uso, porém desmotivados.

“O tratamento consiste em reduzir ou minimizar os efeitos da retirada da nicotina, principalmente ansiedade e depressão”, afirma o psiquiatra. Alguns medicamentos utilizados buscam aumentar os níveis de dopamina no corpo, um neurotransmissor que dá a sensação de prazer, imitando a atuação da nicotina. Outros pacientes podem se beneficiar da terapia cognitivo-comportamental e do consumo de doses baixas de ansiolíticos, substâncias que diminuem a ansiedade.

Dr. Roni Broder Cohen é psiquiatra, formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e é diretor do Centro Brasileiro de Estimulação Magnética Transcraniana. CRM-SP: 58893

TAGS
ansiedade
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

Nenhum comentário para "Pare de fumar: o tabagismo pode ser uma causa de surtos de ansiedade?"
Seja o primeiro a comentar

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.

x

Parabéns

Em breve sua revista chegará em sua casa

Percebemos que você gostou do nosso conteúdo. Quer receber nossa revista em casa?

Preencha o formulário com seus dados que enviaremos para você!

* IMPORTANTE: Isso não é uma assinatura. Você receberá apenas esta edição da Revista CUIDADOS PELA VIDA.