O que é hipertricose? Saiba mais sobre síndrome do lobisomem!


  • +A
  • -A

A hipertricose, também conhecida popularmente como “síndrome do lobisomem”, é uma doença raríssima na qual os pelos crescem em excesso pelo corpo, preenchendo quase toda a sua extensão. A exceção são as regiões das mucosas, palmas das mãos e plantas dos pés. Pode ser causada por diversos fatores, mas o principal está na predisposição genética.  

 

“Síndrome do lobisomem” é classificada em diferentes tipos

 


“Na realidade, hipertricose é um termo médico que significa excesso de pêlos. Excesso este que possui diversas causas, desde doenças genéticas, adquiridas, desequilíbrios hormonais e até mesmo efeito colateral de algumas medicações. Já a ‘síndrome do lobisomem’ é mais relacionada às doenças genéticas (como a hipertricose lanuginosa congênita)”, explica a dermatologista Alexandra Bononi.

A hipertricose lanuginosa congênita é um dos tipos da doença. Nela, o pelo é, em geral, relativamente liso e felpudo, podendo atingir comprimento considerável. A síndrome de Abras, variação da congênita em que o pelo é mais grosso, e a hipertricose adquirida, ocasionada normalmente por ingestão de medicamentos e algumas doenças metabólicas como hipotireoidismo e porfirias, são outras variações.

 

Sem cura e tratamento específico, hipertricose gera preconceito na sociedade

 


A “síndrome do lobisomem” não apenas não tem cura como não possui nem ao menos tratamento adequado, visto que pouco se sabe ainda hoje sobre sua origem. “Não existe tratamento específico. A remoção do excesso dos pêlos através dos métodos convencionais e lasers é o único método adotado. É uma doença genética, não tem cura”, explica a dermatologista. Já a hipertricose causada por medicamentos, como a aplicação indevida de cremes para combater a calvície, ou outros fatores ambientais pode ser revertida.

Por ser muito rara, pouco conhecida e deixar o rosto e todo o corpo cobertos de pelos, a hipertricose ainda é vista com muito preconceito dentro da sociedade. Isso acarreta em riscos sérios daqueles que possuem a anomalia desenvolverem problemas psicológicos como depressão, por não serem aceitos devido a sua aparência. Por conta dessa discriminação, estes indivíduos costumam se isolar.

 

Alexandra Bononi é dermatologista formada em medicina pela Universidade Estadual Paulista (Unesp – Botucatu) e atua em São Paulo. CRM-SP: 97012

 

Foto: Shutterstock

TAGS
cabelos
pele

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

1 comentário para "O que é hipertricose? Saiba mais sobre síndrome do lobisomem!"

Luana Oliveira

Doutora usei uma pomada antibacteriana e antiinflamatória na orelha porque fiz um furo e inflamou. Agora os pelinhos que nem apareciam estão aparecendo, mas são bem finos e claros, bem claros. O que faço pra reverter a situação? Eles vão sumir? Estou com medo de que continuem a crescer

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.

x

Parabéns

Em breve sua revista chegará em sua casa

Percebemos que você gostou do nosso conteúdo. Quer receber nossa revista em casa?

Preencha o formulário com seus dados que enviaremos para você!

* IMPORTANTE: Isso não é uma assinatura. Você receberá apenas esta edição da Revista CUIDADOS PELA VIDA.